Entenda as Pragas do Egito


Imagem:Divulgação 

O historiador  Maurício Ferreira explica, primeiro, de que forma as pragas causam um impacto direto na sociedade egípcia.

─ Os egípcios entendem o mundo através da ordem cósmica e do caos. O faraó tenta manter a ordem cósmica, que seria o controle da natureza, e estas pragas representam uma perturbação na ordem cósmica. A atuação  dos deuses justamente impede o caos na terra e as pragas são, por fim, a representação do verdadeiro caos, ou seja, do fim



1- Água do rio Nilo convertida em sangue 

─ Talvez esta seja a pior das pragas para os egípcios, porque este povo vive em função do rio Nilo. O Egito é uma faixa de terra estreita, cultivável, dentro do deserto. Longe do rio Nilo não há vida, até porque o rio é regido por algumas divindades. O deus Khnum, por exemplo, é um deus relacionado ao rio Nilo, assim como a deusa Ísis. Segundo a mitologia, o rio Nilo representa as lágrimas da deusa Ísis. Se o rio é transformado em sangue, toda a vida no Egito será impactada. Não haverá água para beber, os sacerdotes não poderão fazer suas limpezas e purificações para as cerimônias religiosas, a plantação será prejudicada, ou seja, tudo é alterado por conta desta praga, a mais prejudicial

2- Rãs

─ A praga das rãs está ligada à primeira, da transformação da água em sangue. Se as rãs estão fora de seu habitat natural é sinal de desordem cósmica. Nesta praga, as rãs se multiplicam, saem do rio e invadem a cidade. Há um descontrole natural

3- Piolhos 

─ O piolho tem um significado para os egípcios, que raspavam cabeça e pelos do corpo para evitar este bicho. O piolho é um parasita que representa sujeira e impureza, principalmente. Os sacerdotes devem se manter puros para ter contato com coisas ligadas aos deuses, como estátuas, fazer ofertas e elevações. Esta proliferação afeta não só o cabelo dos egípcios, mas também o resto do corpo e os torna impuros

4- Moscas

— As moscas trazem um grande problema para o Egito, também associado à limpeza. Se existe mosca, existe sujeira e os egípcios tinham o costume de tomar três banhos por dia, no mínimo. Este inseto leva contaminação ao corpo, aos alimentos, às coisas sagradas. Os sacerdotes, assim como todo o povo, tinham grandes cuidados com a higiene, pois precisavam estar aptos para praticar rituais. As moscas são distribuidoras de contaminação e, para um egípcio com mania de limpeza, isto é terrível. Além disso, elas levam doenças aos animais, o que tem relação com a próxima praga

5- Doenças nos animais 

─ Esta praga apresenta um duplo problema. Primeiro, os animais domésticos e de serviço vão morrer. O boi Ápis, por exemplo, é um deus em formato de animal. Existe uma adoração muito forte no Egito por ele, que é criado para ser cultuado. Inclusive, uma cerimônia é feita com este boi, que revitaliza as forças do faraó e que é selecionado com base em vários critérios,. Além disso, há um buraco econômico, pois não haverá carros de bois e animais que ajudam na plantação. O segundo problema é a questão de os deuses serem antropomórficos, ou seja, eles se apresentam como metade humanos e metade animais. Cada deus tem um bicho que o representa, então a morte dos animais seria a morte dos deuses

6- Úlceras 

─ Esta praga causa manchas na pele. Se você tem uma doença será uma pessoa suja, impura e encontrará dificuldades para praticar cultos e cerimônias adequadamente. Estas úlceras também podem ser um castigo da deusa da vingança e destruição, Sekhmet. Segundo os mitos do Egito, esta deusa acaba com os homens, mas depois, se arrepende. Porém, quando ela começa, não para. Sekhmet só interrompe as mortes com a invenção do vinho, porque os homens servem vinho para a deusa e ela pensa que é sangue. Daí, ela volta a ser a deusa da festa

7- Granizo 

O granizo traz um impacto direto ao povo egípcio, pois não é algo comum. Com ele, quase metade da plantação é perdida, o que faz o povo passar fome. Esta praga causa mais um problema econômico

8- Gafanhotos 

Os gafanhotos não têm significado religioso, mas a passagem deles já demonstra que pessoas vão morrer de fome, pois praticamente 80% da produção de trigo será afetada. Os egípcios precisariam passar pelo menos um ano inteiro apenas com reservas de alimentos. Isto causa desordem social e medo

9- Treva (Dia se transforma em noite) 

─ Na mitologia, há o deus Rá, que é o Sol. Em todo fim de dia, quando o Sol desce pelo horizonte e desaparece, os egípcios acreditam que ele está passando pelo mundo dos mortos. A viagem é perigosa e este deus seria atacado por um monstro. Então, todos os deuses saem do Egito durante a noite e vão até o mundo dos mortos para proteger o deus Rá. Se o Sol não voltar de manhã para o mundo dos vivos e reaparecer, o mundo morre. Ou seja, vendo o dia virar noite, os egípcios vão acreditar que o deus Rá foi derrotado e que toda a vida na terra deixará de existir

10- Morte dos primogênitos 

Esta implica necessariamente nos projetos políticos de sucessão. Na Antiguidade, o filho mais velho herda a maior parte dos bens e é responsável pelo legado do pai. Para o faraó, o mais velho assumirá o trono. Quando o primogênito morre, toda a geração preparada para comandar o Egito desaparecerá. O segundo problema desta praga é que o processo de luto e mumificação, no caso do faraó, demora 72 dias. Com a morte dos primogênitos, o Egito entra em luto, o que gera a melhor oportunidade para o povo hebreu sair do Egito


Por: Maurício Ferreira  ( historiador )  R7
(Os Dez Mandamentos )