Cartomancia





O Tarô




O Tarô começou por ser um meio desesperado, há milhares de anos atrás, de preservar mistérios e segredos sagrados que estavam ameaçados de destruição por parte de vândalos bárbaros.

Como os sacerdotes egípcios, guardiões da Sabedoria Sagrada, se encontravam melindrados com o fato de toda a história, conhecimento, métodos de meditação e ensinamentos poderosíssimos se perdessem face a tais ameaças, decidiram entre si criar um sistema subtil de transmitir as Verdades Eternas de geração em geração: o baralho de Tarô.

A sua arte foi ensinada aos escolhidos e assim, há milhares de anos que o Tarô é usado para adivinhação e previsão do futuro, embora muitos leigos o tenham utilizado como apenas um divertimento e um simples jogo de cartas.

Nos dias de hoje, o Tarô é usado para os mais diversos fins. Para além de ser utilizado como forma de adivinhação, previsão e aconselhamento, nestes últimos anos, o Tarô tem sido utilizado também como tratamento psicológico e terapêutico, acompanhamento afetivo e emocional e como método catártico para perturbações transportadas de vidas passadas.

Parece mentira como é que um simples baralho de 78 cartas, dividido em Arcanos Maiores e Arcanos Menores, ilustrado com figuras alusivas aos nomes de cada carta tenha assim tantos efeitos benéficos, não é?

Mas na realidade, o Tarô é um meio diferente e original de nos introduzirmos no inconsciente de cada um e trazer para a superfície tudo o que não era perceptível na nossa realidade.

É tal e qual como ir ao fundo duma questão utilizando o conhecimento, o discernimento e a intuição através de monólogos que as cartas dissertam sobre cada pessoa… É só preciso ter sensibilidade e preparação para ouvi-las!

É na simplicidade que quase sempre se encontra a sabedoria, e o melhor exemplo para esta afirmação é definitivamente o Tarô.

Baralho Cigano

A origem do Baralho Cigano Lenormand tem duas versões. Na primeira delas, este magnífico jogo de cartas estaria relacionado ao Petit Lenormand. Este baralho composto de 36 cartas foi criado por Anne Marie Adelaide Lenormand, uma francesa nascida na cidade de Alençon, em 1772. Mademoiselle Lenormand ficou famosa pela precisão de suas previsões, atendendo a figuras ilustres da realeza da França. Numa casa de altos e baixos em Paris, esta mulher jovem, acompanhada de seu gato preto, espalhava sobre a mesa as cartas do seu baralho e previa o futuro de seus nobres consulentes. Ela atendia figuras da alta sociedade da época e grandes líderes, como Robespierre e o Imperador Napoleão Bonaparte.

Além de cartomante, Mademoiselle Lenormand era astróloga, quiromante, numeróloga e tinha muitos outros conhecimentos como geomancia, dominância, cafeomancia. Ela revolucionou o conhecimento da Cartomancia, na época, utilizando flores, ervas e talismãs junto com seu jogo de cartas. Com seu desencarne, em 25 de junho de 1843, muita desta sabedoria desapareceu com ela. Somente cinquenta anos depois, alguns manuscritos de Lenormand foram recuperados e mais tarde divulgados.

Na segunda versão, o Baralho Cigano Lenormand, teria sido descoberto e propagado por este povo mágico que são os Ciganos. Através do seu modo singular de vida migrando de um lugar para outro, eles popularizaram seu jogo de cartas com figuras singelas e de fácil entendimento. Foi desse mesmo modo, que este povo nômade, nos presenteou com a expansão de muitas outras artes advinha tórias, como a Quiromancia, por exemplo, originária da Índia.

Seja qual for a verdadeira origem e a descrição histórica deste baralho, vale lembrar: é fácil notar que a origem da maioria dos oráculos ao qual temos acesso hoje geralmente é deficiente, visto que a humanidade já passou por vários períodos de repressão, tendo assim, perdido muito conhecimento no campo do ocultismo. Se não fosse a persistência e a coragem de diversos mestres da filosofia esotérica, não poderíamos desfrutar hoje deste e de outros maravilhosos jogos de cartas.

O Baralho Cigano Lenormand é constituído por 36 cartas, numeradas ordinalmente e relacionadas aos 4 naipes que constituem a Cartomancia tradicional. Estes naipes -Copas, Ouros, Espadas e Paus – correspondem aos 4 elementos alquímicos: água, terra, fogo e ar. Estes elementos representam respectivamente, a emoção, a matéria, o espírito e a razão.

Com arquétipos de fácil visualização, sua leitura apresenta aparente facilidade. Por este motivo é visto também, equivocadamente, como um instrumento “pobre”. Ou seja, não tão rico quanto o Tarô tradicional que a maioria de nós conhece, aquele que apresenta os 22 Arcanos Maiores. No entanto, a posição das cartas, a comparação entre uma e outra, é que especifica a mensagem do jogo feito com o Baralho Cigano Lenormand.

Este último encanta também pela magia relacionada a ele. Muitos o jogam cercados de apetrechos como velas coloridas, incensos, frutas e outros objetos. Mas, existem também aqueles que jogam o mesmo baralho sem nenhum artifício. Vale lembrar que o mais importante é o jogo propriamente dito e a mensagem contida nele. O ritual é secundário.

O Baralho Cigano Lenormand, assim como qualquer jogo de cartas, através dos seus arquétipos, envia mensagens que muitas vezes estão bloqueadas em nosso inconsciente. Extremamente valioso para o nosso dia-a-dia, como se fosse um amigo, um confidente, pode nos orientar para decisões mais acertadas e também nos prevenir dos perigos que nos cercam.

Numerologia Carmica

A Numerologia carmica é uma ciência de reação de vida que tem como principal base o estudo do Ciclo
Encarna tório e os Arquétipos do Tarô, nos leva ao autoconhecimento e permite uma orientação rica e precisa.

É um mecanismo de “estudo da vida”, onde se pode avançar cada vez mais, compreendendo tendências, associando energias, analisando correlações complexas para decodificar a linguagem universal através da sua representação simbólica mais exata: os números. Já dizia Pitágoras, criador do primeiro estudo em numerologia, “Se tudo no Universo é vibração, então é número”.

Na numerologia carmina constamos que o processo evolutivo do homem passa, através das vibrações numéricas, por todas as experiências da roda carmina das encarnações.

Ao passarmos pelas experiências necessárias, sempre que o desempenho não está de acordo com a lei cósmica do amor universal, esta atitude fica gravada em uma espécie de arquivo cósmico que não aprendemos a lição maior, e ao transgredirmos essa Lei Maior, seremos sempre levados a repetir a experiência para que possamos, através da repetição, aprender a lição, que é a grande finalidade da nossa vinda a este planeta.

Então isso não é castigo, é acima de tudo uma lição de amor que nos faz repetir a lição mais difícil, como uma forma mais eficiente de aprendizado.

Lições difíceis advém na forma de três sentimentos básicos que se não estiverem canalizados corretamente, tornam-se extremamente negativos, que são o medo, a raiva e a culpa.

Eles nos acompanham desde o início dos tempos, fazem parte do instinto animal e, enquanto não forem aceitos como parte de nós para que sejam transmutados, serão responsáveis por todos os carmas adquiridos.

Todos os demais sentimentos são derivados destes três, é a mesma energia.

E o dado importante é que os números não determinam o comportamento nem os acontecimentos, apenas indicam as tendências, para que possamos transformá-las, se assim o desejarmos.

Não podemos nunca esquecer que a nossa consciência é que determina a mudança de qualquer situação indesejável, depende unicamente de nós, de nosso esforço e determinação ir em busca de nós próprios e de nossa autotransformação. Este é o pulo do gato para se iniciar uma vida melhor, mais sadia, mais feliz em todos os sentidos.

Neste momento podemos refletir algumas considerações sobre carma, que normalmente é visto como dor, sofrimento, peso.

Quem já não ouviu a famosa frase diante de uma situação onde alguém tem outra pessoa muito problemática a seu lado: " Este é o meu Carma", anunciando que está pagando um castigo, que aquele sofrimento é aceitável e previsível.

Como as palavras tem força, devemos entender primeiramente que nem todo o Carma é negativo, reflita sobre isso e transmute .