O Planeta regente de 2012



Ao se aproximar o ano de 2012 do nosso calendário ocidental, parece aumentar também o medo do chamado 'fim do mundo' tão anunciado pelo Calendário Maia. Espiritualistas, esotéricos, religiosos ou não, todos, mesmo os mais céticos, estão interessados em saber se a tal profecia irá se concretizar.Mas devemos concordar que a Terra está enfrentando um período de intensas transformações e que, sejamos esotéricos ou não, precisaremos enfrentar uma grande transformação coletiva. Tenho certeza de que, cada um a seu modo, está procurando fazer adaptações em seu dia-a-dia, mesmo os mais favorecidos ou materialistas, não é? Aliás, quanto mais materialista mais ansioso: com este sobe e desce das bolsas de valores não há como dormir tranqüilo! Haverá crise econômica em 2012? Ocorrerão mais terremotos? Tsunamis? As mudanças climáticas irão piorar? Essas são perguntas que não 'podem calar'!

Mas... como responder às nossas inquietações? Vamos e convenhamos: as informações que recebemos através da mídia não facilitam as coisas. Assistimos 'ao vivo' e diariamente a catástrofes, terremotos e inundações, enfrentamos o aumento da violência, os conflitos mundiais não parecem diminuir, para não falar dos problemas econômicos que tiram o sono de muitos dirigentes e chefes de família.

As grandes transformações anunciadas para a Era de Aquário já estão acontecendo! E não é de hoje que a Terra sacode, o mar se agita, o clima enlouquece. Essencialmente, o fato era que a informação não chegava de forma imediata como agora e os acontecimentos que não nos atingiam diretamente acabavam ficando 'longe dos olhos' e não afetavam nossas vidas. As catástrofes naturais ocorrem naturalmente porque é da natureza da Terra sacudir, cuspir fogo, agitar as águas: ela é um ser vivo em constante transformação. A história nos relata essas transformações ao longo dos milênios. Só que atualmente tudo parece mais rápido, mais imediato e nos atinge 'em cima da hora', não é mesmo? O ser humano se sente cada vez mais instável, inseguro e percebe que não consegue dominar as forças da natureza! Como fazer, então, para dormir tranqüilos? A quem pedir socorro? Eu creio que devemos continuar nossa evolução espiritual para nos fortalecer interiormente e enfrentar a época de turbulências em que vivemos.

Então, o que nos dizem os astros sobre o ano de 2012?

A Lua será a regente do ano e com ela virão todas as instabilidades que este satélite expressa do ponto de vista arquetípico. A astrologia, assim como muitas outras ciências, permite várias interpretações que dependem de tradições diferentes. A astrologia hindu é diferente da chinesa que é diferente da muçulmana que é diferente da ocidental. Mas todas elas são imensamente valiosas, pois transmitem conhecimentos milenares de sabedoria e tradição. Por essa razão todo esse saber é útil para servir de orientação na programação do novo ano. Com a visão da astrologia ocidental, tentarei esclarecer algumas das formas usadas para escolher o Regente do Ano.

Os astrólogos mais esotéricos buscam nos antigos caldeus este conhecimento que é baseado na chamada "Estrela dos Magos" , uma estrela de sete pontas onde são colocados o Sol, a Lua e mais cinco planetas (aqueles que são visíveis a olho nu e que eram conhecidos na antiguidade). A sequência em que são colocados os planetas não é clara, pois não segue a ordem lógica (de afastamento dos planetas em relação ao Sol ou em relação à Terra, por exemplo) e não vamos esclarecê-la neste artigo.

Os caldeus utilizavam as regências na seqüência mostrada pela figura abaixo, contando o Ano Zero sempre como sendo o Ano regido pelo Sol. E como encontrar o Ano Zero? Simplesmente dividindo o ano em questão pelo número 7 (sete eram os planetas conhecidos e que são vistos a olho nu) e obtendo como resultado um número de "sobra". Esta sobra é o numero correspondente ao planeta regente do Ano. Quando a sobra for "zero" teremos, então, um ano Solar que iniciará novamente um ciclo. O último ano zero foi 2009. A Estrela nos indica ciclos de 7 anos.

Fazendo esse cálculo, o ano de 2012 nos deixa um número de sobra que é 3 e, portanto, num ano 3 o regente do ano será a Lua que se encontra nessa posição na Estrela dos Magos. Astrologicamente, a Lua rege o signo de Câncer, que corresponde à Casa IV da roda zodiacal.

Se o Sol é o princípio masculino, ou ANIMUS, a Lua é o princípio feminino ou ANIMA. A Lua, reflexo da luz solar, representa nossa infância, nosso lar materno e nossa mãe. É na infância que se forma e plasma nossa auto-imagem. O bebê se aconchega no útero materno, que é representado astrologicamente pela Lua, e dessa Lua ele depende para o seu desenvolvimento emocional e sentimental. É o elemento água, o leite, alimento que está representado na Lua. Assim que o bebê nasce, vai para o colo da mãe para receber calor, alimento e amparo. Se esta mãe o rejeitar, se ela lhe faltar, se ela não o alimentar, o bebê terá sérios problemas psicológicos na fase adulta, mesmo sem o saber conscientemente. De fato, a Lua representa o lado psíquico inferior, é formadora do EGO e faz parte da personalidade da pessoa. Os psicólogos sabem muito bem que os traumas da infância ficam escondidos no nosso subconsciente para sempre!

Mas, se a Lua representa a mãe, ela pode representar também a Terra, nossa mãe maior, aquela que nos alimenta, acalenta e acolhe, que nos dá a vida e que nos recebe na morte. O que terá a nos dizer essa Mãe Terra em 2012? Ela certamente continuará em seus ensinamentos, poderá nos mostrar todo o seu mal-estar do mesmo modo que faria uma mãe quando o filho não a obedece, e pega o mau caminho! Porém, tenho certeza, o fará com amor, no intuito de educá-lo e não de destruí-lo. A meu ver, ela, a Mãe Terra, procurará nos encaminhar para o caminho reto, de maneira que possamos continuar nossa evolução junto com ela. Não creio que ela se comportará como uma madrasta, talvez somente como uma mãe severa.

Se fizermos analogias astrológicas em nível coletivo, poderemos, então, deduzir que em 2012 estaremos dando muita importância ao núcleo familiar, mas também ao solo, ao país que nos abriga e nutre. Teremos muita instabilidade, seja no campo econômico, que nas modas, nos costumes, nos núcleos familiares que mudarão de forma, de composição. Os movimentos de massa, como manifestações, passeatas, clamores, e rebeliões aumentarão bastante, e no mundo inteiro. As preocupações com as 'águas da vida' estarão na pauta diária: mares, rios e oceanos precisarão de nossos cuidados, antes que seja tarde! As figuras femininas e maternais e os assuntos do trivial precisarão de novas abordagens, mais adequadas ao mundo em transformação. E, finalmente, precisamos pensar principalmente naquilo que entendemos como família! Qual é a sua importância para nós? Deixo essa reflexão para cada um de meus leitores.

Por outro lado, na estrutura da Cabala, na Árvore da Vida, a Lua corresponde à Sephirah de Yesod, o Fundamento. Ela é a 9ª Sephirah, Depósito de Imagens, Esfera da Ilusão. É nela que se plasma a alma do ser humano antes da materialização. É com essa energia que se realizam todas operações mágicas. A Sefirah de Yesod se encontra sob a direção energética do Arcanjo Gabriel. Este belíssimo arcanjo tem sob seu comando os Querubins, os Seres Fortes que regem da 65ª à 72ª Hoste angelical e comandam os elementais. O Arcanjo Gabriel guarda com sua espada os mistérios do Templo de Yesod e ele pode ser invocado nas operações mágicas usando a letra TAV por ser este o Tabernáculo cósmico do Aleph, o lugar de União onde se gera e fertiliza a Vida. Na virada do Ano, a Lua se encontrará no signo de Áries, na fase Crescente e em alinhamento com Urano. A Deusa da Noite, como é chamada a Lua, rege as mudanças, as emoções, as recordações e, desta feita, se entrarmos nesta sintonia poderemos nos tornar mais emotivos, nostálgicos e muito influenciáveis, desejosos de efetuar mudanças importantes em nossa vida.

Previssões de: Graziella Marraccini é astróloga, taróloga, cabalista e estudiosa de ciências ocultas e dirige a Sirius Astrology


Obrigada Grazi
VG