Dreamcatcher, a teia dos sonhos




Dreamcatcher, também conhecido como filtro ou teia dos sonho, são mandalas de cura, de origem nativa norte-americana. A função do filtro dos sonhos é afastar as energias intrusas, que presas na tela, se dissipam com os primeiros raios de sol.

O que o filtro basicamente faz, é filtrar energias intrusas, que podem interferir em nosso processo natural e pessoal do sonhar e viajar pelo tempo do sonho, que é de onde vem uma enrome parte do conhecimento de cada um de nós o aro do filtró, é a roda da vida, e a teia que tecemos são nossos sonhos que temos quando dormimos, em contato com o tempo do sonho, mais também os sonhos de nossa alma. O Centro da tela é o vazio, o espírito criador, o grande mistério.

Existem inúmeras explicações e lendas, mas devemos sempre lembrar que estes filtros não sãosimples objetos decorativos, eles são instrumento de poder, são medicinais.

Essas medicinas podem ser carregadas com um propósito, que ativamos ao construir o filtro, e é nesse momento que colocamos nosso espírito e nossa energia, transformando-o em instrumento de poder.

Trata-se de um instrumento de poder que assegura bons sonhos para aqueles que dormem num aposento em que aja um filtro do sonho.

É uma mandala. Segundo jung, a mandala, se encontra na própria alma humana, aparecendo nos sonhos e em diversas imagens, criadas pelo nosso inconsciente. Jung diz que as mandalas são vasos ou embarcações na qual protegemos nossa psique que retorna a nós, como um caminho de restauração. É dessa forma que o filtro dos sonhos nos traz a auto criatura e podem funcionar como chaves que acessam os nossos mistérios do nosso reino interior, que pode nos levar ao encontro dos nossos mistérios interiores, à nossa essência.

No xamanismo, evocamos a essência espiritual da aranha para compreender melhor a tela da vida, para encontrarmos a criatividade e a imaginação, latente em nossas almas. É ela que nos inspira a ver, sentir e nos ajuda a encontrar a força do nosso poder para materializamos os nossos sonhos. Ela nos encoraja a tercemos a teia da nossa propria vida e a sairmos do mundo das ilusões que continuamos criar.

A lenda da aranha bem nos explica isso. Num dos mitos da criação, conta-se que no inicio do mundo, só havia escuridão, os povos andavam às cegas e viviam se colidindo, uns com os outros. A vovó aranha que trouxe o sol e o fogo aos indios e ensinou-lhe também a arte de fazer cerâmica.

Conta uma velha lenda dos nativos norte americanos, que um velho indio ao fazer uma busca da visão, no topo de uma montanha, apareceu iktomi, a aranha, e comunicou-se em linguagem Sagrada. A aranha pegou um aro de cipó e começou a tecer uma teia com cabelo de cavalo e as oferendas recebidas

Enquanto tecia, o espírito da aranha, falou sobre os ciclos da vida, do nascimento à morte e das boas e más forças que atuam sobre nós em cada uma dessas fases. Ela dizia: se você trabalhar com forças boas,será guiado na direção certa e entrará em harmonia com a Natureza. Do contrário irá para direção que causará dor e infortúnios.

No final a aranha devolveu ao velho indio, o aro de cípó com uma teia no centro, está a teia que representa o ciclo da vida. Use-a para ajudar seu povo a alcançar seus objetivos, fazendo bom uso de suas ideias, sonhos e visões. Eles vem de um lugar chamado: espírito do mundo que se ocupa do ar, da noite com seus sonhos bons e ruins. A teia quando pendurada se move livremente e consegue pegar sonhos, quando eles ainda estão no ar. Os bons sonhos sabem o caminho e deslizam suavemente até alcançar quem está dormindo. Já os ruins, ficam presos no Círculo, até o nascer do sol, e desaparecem, com a primeira luz do nosso dia.

BONS SONHOS